Dicas de snowboard : Viagens

Big thumb praga inverno

Snowboard Europeu Low Cost?

aprox. 1 ano Ago / Marcações: experiencia, economizar, hemisferio norte

Olá pessoal, há um ano e meio, eu viajei para Santiago do Chile e quase sem querer visitei Valle Nevado. Fiz uma aula de snowboard e a energia da Cordilheira dos Andes me fez voltar para a neve. Desta vez, a Špindlerův Mlýn, na República Tcheca. Vou dar umas dicas de como escolhi o resort, hospedagem, passagem aéreas, além de sites informativos.

Praha MaravilhosaQuero dizer que sou iniciante, e as únicas experiências que tinha com snowboard foram no Valle Nevado (por um dia) e na República Tcheca (por seis dias). Bem, a minha vontade de continuar o que comecei no Chile era grande, e na época me faltavam tempo e dinheiro suficientes, já que aquelas férias foram numa época que praticamente não era temporada de neve em lugar nenhum. Mas eis que as minhas últimas férias foram agora em Fevereiro e Março, e opção mais viável e barata seria Europa. Li que os lugares mais em conta estavam na Bulgária, Eslováquia, Polônia, Servia, Bósnia e República Tcheca. A decisão foi difícil, mas o que pesou foi o fato de que Špindlerův Mlýn fica a três horas de Praga (facilmente se chega de ônibus), a cidade de Praga parecia ser linda (e apaixonante), além de fácil acesso para quem fosse partindo de Frankfurt, Berlim, Munique, Viena ou Budapeste. Lugares que, para nós brasileiros, são tranquilos para se pegar avião. Li que os restaurantes não eram caros e as pistas não eram tão distantes do centro da cidade.

Hostel CentralQuanto à hospedagem, fiquei pesquisando nas distâncias entre o hotel e as pistas. Escolhi com receio o Hostel Central, já que tinha uma avaliação ruim na internet, mas paguei por um quarto só para mim, no segundo andar, exatamente no centro de Špindlerův Mlýn, onde tudo acontecia ao redor! A hospedagem foi tranquila, os banheiros eram compartilhados, muitas coisas quebradas, mas o aquecedor, a água quente, uma cama confortável, uma vista linda para as montanhas e o rio que corta a cidade era o que eu precisava (e eu tive). Paguei o equivalente a 15 Euros por diária, valeu a pena. Dava para ir caminhando para até dois lifts pelo menos: O Svat Petr, fica a menos que 1 km, e a Medvedin menos de 2 km. Se bem que tem o skibuss de graça em determinados horários. Durante a noite eu frequentava os bares mais badalados da cidade que eram o Nova Dolska e também Silver Rock Music Bar, mas existem bem mais opções.

Existem muitos restaurantes, a maioria deles dentro de hotéis. Eu frequentei pouco, sempre comprava algo no Asian Market, vizinho ao hostel, mas quando saía para jantar, comia bem com aproximadamente 13 dólares. Nas pistas obviamente tem uma boa estrutura para quem quer almoçar ou somente tomar um café e claro, uma cerveja. Os preços são mais salgados (só tomei café e chá, queria aproveitar ao máximo).

logo spindlcardVamos para uma parte importante: O skipass. Antes de tudo eu fiz o cartão SpindlCard (www. Spindlcard.cz), lá no hostel, o que me deu desconto no passe. Paguei o equivalente a 172 dólares para seis dias de snowboard, no período de 22 a 27 de Fevereiro de 2016, ainda era alta estação, tanto que nevou praticamente todos os dias. Só que o primeiro dia foi de chuva. O site do resort é www.skiareal.cz . O passe também pode ser adquirido através do www.gopass.cz. Paguei também por duas aulas particulares (duas horas por aula), cada uma me custou o equivalente a 64 dólares, na escola Yellow Point, aluguei o set de snowboard e o capacete pelo valor de 167 dólares por seis dias. Não pesquisei muito, escolhi esta escola porque responderam ao E-mail rapidamente e ficava em frente ao hostel. Só depois percebi que da janela do meu quarto eu conseguia enxergar mais duas escolas de ski/snb. Mas tudo deu certo, inclusive o equipamento e a atenção dos atendentes.

Em relação às pistas, eu acredito que tem para todos os gostos, tanto para iniciantes como intermediários e experts, são 20 pistas somando mais de 70 km. Se observarmos no mapa, vamos ver que as pistas, azuis, vermelhas e pretas são de igual para igual. Não fui em todas as pistas, quando fui em outra mais distante, me perdi (beginner!) No público percebi a grande presença de tchecos é claro, polacos, alemães e ingleses.

logotipo de spindleruv mlynNo mais, achei o lugar muito lindo, bem pequeno, mas com toda estrutura necessária para esporte na neve, só não volto nas próximas férias por que quero conhecer outros lugares. Não posso esquecer do site oficial de Špindlerův Mlyn: www.spindleruv-mlyn.com.

Fiz tudo por conta própria, sem agências, as quais julgo importantes se você não se sentir seguro para elaborar o próprio pacote. Quem sabe nos vemos em algumas dessas montanhas desse mundo lindo que vivemos hein?

Cícero Alves

1 / 8
2 / 8
3 / 8
4 / 8
5 / 8
6 / 8
7 / 8
8 / 8

Dicas Relacionadas:

Comentários

Propaganda